Exposições

  • Exposições

    Aqui mesmo onde me encontro

    - by zweiarts

    Como um verso a ser interpretado, o trabalho de Ana Rey me remete a uma forte conexão ao haiku: poema de origem japonesa que se caracteriza pela concisão e brevidade.

  • Exposições

    Hierofania

    - by zweiarts

    A exposição Hierofania trata-se da manifestação do sagrado no mundo concreto através de símbolos. O sagrado como função de dar sentido às coisas profanas, os símbolos como elo que liga os dois mundos.

  • Exposições

    ECOS URBANOS

    - by zweiarts

    Com muito orgulho apresentamos Ecos Urbanos, uma exposição comemorativa do Ateliê Alê com a participação dos artistas do Projeto Portão, que impulsionou o Ateliê na sua formação.

  • Exposições

    Traffic(o)

    - by zweiarts

    A mostra é uma extensão de Do write (right) to me, exposição que já esteve em espaços em Nova York e Miami e agora também está em São Paulo, ocorrendo em paralelo a Traffic(o).

  • Exposições

    Monumento à efemeridade impermanência

    - by zweiarts

    Já faz muito tempo que a humanidade procura por algo que dure. Apesar do mundo ser impermanente, apesar de todo o mundo que respira, respirou ou respirará abaixo dos céus está girando à aproximadamente 5.400 km/h ao redor do eixo da terra.

  • Exposições

    Animal Planet

    - by zweiarts

    A pesquisa de Monique Huerta gira em torno
de objetos de encaixe em suas conectividades não binárias e a possibilidade da escultura como potencial vivo de contato.

  • Exposições

    “O ar que eu não seguro”

    - by zweiarts

    O ato de pintar é íntimo, o gesto é indício de existência e é através deste que se materializa a correspondência psíquica entre o artista e o trabalho. A ligação entre mente, corpo e pincel é direta e constante.

  • Exposições

    Bazarte 2021

    - by zweiarts

    O Ateliê Alê em parceria com a Casa Contemporânea trazem 27 artistas que apresentam obras em pequeno format.

  • Exposição Online

    Situação de Risco

    - by zweiarts

    Parafraseando o título de um antigo filme “O ano que vivemos em perigo”(1982, Peter Weir), 2020-2021 são anos que o mundo tal como conhecíamos virou um caos devido à pandemia da Covid-19 deixando seu rastro de morte, incerteza e medo.

  • Exposições

    SER PÁSSARO SEM PODER VOAR

    - by zweiarts

    “Firme, imóvel, exposta aos fenômenos atmosféricos a ponto de se confundir com eles. Suspensa no ar sem nenhum esforço, sem precisar contrair um só músculo. Ser pássaro, sem poder voar. (…)